terça-feira, 4 de julho de 2017

"SAÚDE E BEM-ESTAR": EXERCÍCIOS FÍSICOS - AÇÃO E MOTIVAÇÃO PARA VOCÊ SE EXERCITAR!

Fonte: Pixabay

Praticar atividade física faz um bem danado ao corpo, a mente e ao espírito. Quando se tem uma doença que causa dores crônicas, então, o exercício é fundamental para reabilitar o corpo. Muito se fala da endometriose versus exercícios físicos, mas pouco se fala dos benefícios que ele dá às endomulheres. Não é só endorfina não. Em "Saúde e Bem-estar", o educador físico Renato Trevisan, criador do programa online "Exercício e Endometriose", reproduz para as leitoras do blog A Endometriose e Eu uma entrevista que ele concedeu à uma rádio local na cidade onde mora, Maringá, no Paraná. No bate-papo ele explica tudo, desde como entrou para o meio das endomulheres, o que inspirou a criação do programa de exercícios online, e todos os benefícios que os exercícios do programa, especialmente, os regenerativos, idealizados para quando a endomulher está em plena crise de dores. Beijo carinhoso! Caroline Salazar


Por Renato Trevisan, educador físico
Edição: Caroline Salazar

Olá meninas!

Hoje vou bater um papo diferente com vocês. Quero pedir licença para reproduzir uma entrevista que dei a uma rádio local de Maringá, no Paraná, onde tive a oportunidade de falar um pouco sobre a relação do Exercício com a Endometriose, e de como eu recebi este presente de ter contato com essa Patologia e de alguma maneira tentar contribuir para que mulheres pudessem melhorar sua qualidade de vida.

No bate-papo, eu contemplo muitos questionamentos que tenho recebido nas redes sociais. Espero que vocês possam aproveitar, e que para muitas essa entrevista seja o ponta pé inicial para uma nova jornada!

Seguindo com o tema endometriose, hoje o nosso papo será com um personal trainer de Maringá, que desenvolveu um programa de exercícios para mulheres com endometriose. Vamos conversar Renato Trevisan. Boa Tarde Renato? Fala um pouco de você.
Olá, boa tarde a todos que nos acompanham, eu sou o Renato Trevisan, professor de Educação Física, sócio da A3 Atividade Física para a Saúde, um estúdio de Personal localizado na cidade de Maringá que foi criado com foco total na busca pela qualidade de vida e saúde das pessoas. Fiquei muito tempo afastado da área da educação Física e quando resolvi voltar, tinha como convicção oferecer algo que transformasse a vida das pessoas. Eu havia feito isso com a minha de certa forma, quando emagreci 30 quilos para voltar a trabalhar como personal, então queria oferecer isso as pessoas. Neste meio tempo, dentre outras coisas, surgiu a endometriose na minha vida.

Muito bem, isso parece ser mesmo um fato interessante. Como isso aconteceu, você teve algum caso na família que te inspirou a ajudar as mulheres com endometriose?
Não, não foi um caso na família não. Uma querida aluna me relatou o seu problema e como fazemos com todas as patologias que surgem em nosso estúdio, fui estudar e me aprofundar. Quando fiz isso, fiquei impressionado com os relatos que encontrei. Relatos de muito sofrimento, de muita luta, de muita abstinência de vida social, etc..... Isso me fez olhar para aquela situação muito além da aluna que se encontrava ali para meu atendimento. Isso me fez conhecer algo que eu nem imaginava que seria possível existir. Então fui pesquisar, estudar e buscar soluções para resolver o caso que ali se encontrava, mas queria ajudar mais mulheres. Experimentamos as atividades com a primeira aluna, depois foram surgindo outras, e então eu entendi que seria possível replicar esse modelo de atividades para outras pessoas com as mesmas características e melhorar muito a vida destas pessoas.

Isso me parece muito interessante, mas o exercício físico é capaz de promover a cura da endometriose?
Absolutamente Cristina, o exercício físico é um complemento do tratamento da endometriose, jamais poderia fazer tal afirmação de que o exercício promove a cura da doença, mas posso com toda certeza afirmar que ele pode sim melhorar a qualidade de vida de portadoras de endometriose. Poderia aqui citar muitos fatores fisiológicos promovidos pela pratica regular do exercício, mas gostaria de me ater a dois em especial, que são eles: a produção de serotonina e o controle dos índices glicêmicos de nosso corpo. O primeiro deles a produção de Serotonina tem uma relação muito grande com motivar-se para as atividades do dia a dia, melhora do humor, melhora na sensação de bem-estar. Gosto muito de enfatizar esse benefício, pois nos depoimentos que encontrei ao longo de minhas pesquisas, vi muitos casos de mulheres que não saem mais de casa, que sofrem com dores, que sofrem pela falta de reconhecimento da doença e que de certa forma ficam marginalizadas pela mesma. Poder se sentir mais motivada, mais ativa, ter os sintomas das dores diminuídos pode ajudar muito na construção de outra realidade para estas mulheres. O segundo fator é o controle glicêmico, que aparece ai também relacionado à falta de estimulo, ao aumento de associação de Diabetes Tipo II, Neuropatias, Síndrome Metabólica e outras. Apesar de ainda não existir um consenso sobre a etiologia da síndrome metabólica, parece estar claro na literatura, que ela é originada a partir do excesso de tecido adiposo visceral. Em vários estudos a relação hipertrofia dos adipócitos, (célula de gordura), provoca um desequilíbrio na homeostase metabólica do tecido adiposo, aumentando a produção de adipocinas pró-inflamatórias, como a (TNF-alfa) e reduzindo a produção de adipocinas anti-inflamatórias, como interleucina-10 (IL-10), culminando no processo inflamatório crônico de baixa intensidade. Índices Glicêmicos mais elevados são comuns em mulheres com endometriose, estudos iniciais apontam uma possível relação com alguns medicamentos e a associação de um estilo de vida regulado pelas crises de dor incapacitantes.

Temos mesmo relatos de ganho de peso com a utilização de alguns medicamentos, isso é comum?
Bom não sou a pessoa indicada a falar sobre medicamentos, mas posso relatar aqui que alguns medicamentos podem sim ajudar no ganho de peso, principalmente impedindo a realização regular da quebra de gordura como fonte de energia (lipólise). Isso associado à ausência de estímulos pela falta de uma vida mais ativa pode contribuir muito para o ganho de peso. Como já disse anteriormente pode trazer além do sofrimento da endometriose outros fatores de doenças associadas. Por isso tenho falado muito com as “endomulheres” - esse termo eu aprendi com elas (risos)-, busquem tratamento, orientação médica, mas se preocupem também e sempre, com as mudanças de hábitos e, principalmente, com a motivação de se manter sempre ativa. Eu aqui falando deve ter muitas mulheres com endometriose ouvindo e me xingando (risos). Eu imagino que não é fácil, mas é muito importante se manter ativa. É muito importante fazer com que o exercício promova qualidade para o seu dia a dia. Foi por isso que criei o programa “Exercício e Endometriose”, para que mulheres como a Dani, a Ane, a Jô, a Paula, a Adriana e muitas outras conquistassem uma qualidade de vida melhor, com menos dor e com muito mais disposição em seu dia a dia.

Fale para nós como é o programa Exercício e Endometriose?
O proposito do programa é tirar as mulheres da inatividade, promovendo a melhora no quadro de dores e sintomas da endometriose e trazendo mais motivação e disposição no dia a dia destas mulheres. O programa leva em consideração o ciclo hormonal feminino, e tem como proposta inicial a realização de exercícios regenerativos. Para exemplificar o nosso entendimento de exercício regenerativo, vou citar aqui o exemplo da Ane, querida “endomulher” da cidade de São Paulo que há uma semana atrás me fez um relato fantástico. Ela recebeu sua planilha de treino e lá dizia, por exemplo, que ela deveria realizar caminhadas por um determinado período de tempo durante cinco dias... depois iríamos reavaliar sua condição de traçar novas tarefas.... bom na terceira prescrição ela me relatou que a “perua” que levaria seu filho à escola não iria passar para pegá-lo, e que por esse motivo, ela não conseguiria fazer a caminhada, pois teria que levar seu filho até a escola. E dai ela me perguntou: posso fazer o trajeto até o metrô caminhando, vai dar uns 15 minutos, e depois de pegar o metrô, vamos caminhando até a escola, mais uns 10 minutos? Confesso que quase chorei com a pergunta dela! Respondi que sim imediatamente e dei os parabéns a ela pela escolha. Acho que isso resume um pouco do que se trata o programa: dar oportunidade às mulheres a iniciarem a prática do exercício físico quando estas estão em casa, com muitas dores, sofrendo a dor física e psíquica do isolamento. Nos relatos pude compreender que muitas vezes, fazer um café pode ser uma vitória para estas mulheres.

Renato, que lindo esse depoimento! E como as mulheres que estão nos ouvindo, podem conhecer, adquirir ou participar deste programa?
O programa é totalmente online, é um e-book explicativo, com uma planilha de exercícios regenerativos e exercícios de força que foi elaborado para iniciantes, para mulheres que sofrem com dores e que passam grande parte dos seus dias sem realizar muitas atividades cotidianas. Ele tem um valor bastante acessível, e através dele nosso suporte se encontra à disposição de todas as mulheres, para dúvidas, esclarecimentos e atendimento, assim como foi no exemplo da Ane que citei anteriormente. Para conhecer mais sobre o programa basta entrar no site http://exercicioeendometriose.com.br e você vai encontrar mais explicações sobre como ele funciona. Para quem quiser fazer contato com nosso estúdio, tirar dúvidas e esclarecimentos sobre a endometriose pode acessar o nosso site http://a3saude.com.br. Terei o maior prazer em atender.

Que pena que nosso tempo esta acabando. Gostei muito de receber você. Você já deixou seus contatos, mas se quiser repetir ou deixar alguma mensagem fique a vontade.
Gostaria de agradecer o espaço, dizer que sou novo nesta luta em prol da endometriose, mas são oportunidades como esta que estamos buscando para poder falar um pouco sobre essa patologia que atinge mais de 15% das mulheres em todo o mundo. Gostaria também de deixar a mensagem que escrevi mês passado em um blog sobre o Tema: Meninas vamos parar de olhar só para a endometriose e olhar um pouco também para você! Não deixem de buscar uma ajuda, não deixem a endometriose apagar você. Um abraço imenso a todas.

Delicioso o bate papo né?

Espero que vocês tenham curtido, eu adorei participar!

Mandem perguntas através dos comentários, terei imenso prazer em responder todas elas.

Um super abraço e até o próximo texto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário